Médica especialista em Cirurgia Vascular que atua no tratamento de varizes e vasinhos com os métodos mais modernos, inclusive aplicação de espuma e procedimentos com laser. Os tratamentos são programados de forma a atingir os melhores e mais rápidos resultados estéticos, com mínimo desconforto.
Varizes
sindrome-das-pernas-inquietas

Síndrome das Pernas Inquietas

A Síndrome das Pernas Inquietas (SPI) afeta 10-15% das pessoas e é caracterizada pela vontade irresistível de mover as pernas na tentativa de interromper sensações estranhas ou desconfortáveis. Mais comummente, as pernas do paciente se tornam desconfortáveis quando deitado ou sentado – alguns descrevem como uma sensação de  “formigamento ou queimação “. Movimentar as pernas ajuda a melhorar os sintomas, mas não por muito tempo.

A SPI pode ser associada com muitos problemas, tais como a diabetes, neuropatia, falência renal, anemia ou deficiência de vitaminas. No entanto, varizes também podem ser responsáveis pelos sintomas. Enquanto as veias saudáveis levam o sangue de volta para o coração, o retardo nesse processo em veias varicosas pode levar a um acúmulo de substâncias tóxicas e resíduos metabólicos , que podem causar sintomas de SPI.

O tratamento das varizes pode alcançar bons resultados. De acordo com estudos recentes , alguns pacientes com SPI têm experimentado uma melhora dramática ou eliminação de seus sintomas através do tratamento das varizes.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Varizes
ff

Como prevenir as varizes durante a gravidez

Embora a hereditariedade seja a principal causa de doença venosa , as mulheres estão em maior risco que os homens. E cada gravidez aumenta a probabilidade de desenvolver varizes.

As veias são os vasos sanguíneos que levam o sangue de volta das extremidades para o coração , de forma que o sangue na perna veias segue esse caminho contra a gravidade . Durante a gravidez, o útero em crescimento exerce uma pressão sobre a veia central , no lado direito do corpo (veia cava inferior), que, por sua vez, aumenta a pressão nas veias das pernas . Durante a gravidez, a quantidade de sangue no corpo aumenta , aumentando a sobrecarga nas veias . Além disso, as alterações hormonais desse período provocam o relaxamento das paredes das veias.

Há algumas dicas úteis para retardar ou prevenir a progressão de varizes durante a gravidez :

  • Praticar exercícios diariamente para manter uma boa circulação.
  • Mantenha-se na faixa de peso recomendada durante a gravidez.
  • Elevação de pés e pernas sempre que possível.
  • Evitar permanecer sentada ou em pé por longos períodos sem fazer pausas para se movimentar.
  • Usar meias de compressão graduada . Estas meias estão disponíveis lojas especializadas. Elas exercem mais pressão no tornozelo e ficam menos apertadas nos pontos mais altos da perna, o que ajuda o sangue fluir de volta para o coração.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Varizes
dd

É possível realizar escleroterapia durante a gestação?

De acordo com a literatura, o tratamento de varizes vulvares dolorosas pode ser feito durante a gravidez. Há inúmeros relatos de pacientes submetidas a escleroterapia  para varizes das pernas durante a gestação de maneira intencional ou acidental, sem qualquer prejuízo para o feto. Entretanto, esses relatos tem pouco valor para avaliação de segurança. Segundo as diretrizes e informações dos fabricantes dos principais esclerosantes disponíveis no mercado , a gravidez é uma contra-indicação para a escleroterapia, pois seus estudos de segurança foram conduzidos apenas em animais (devido às questões éticas óbvias desse tipo de pesquisa).

Assim, ainda que os relatos de casos não indiquem risco aumentado para a mãe ou para o feto, a realização desse procedimento na gestação deve ser evitada. Além da literatura científica limitada sobre o assunto, ainda há a a alta probabilidade de regressão espontânea de varizes pós-parto. Dessa forma, deve-se preferir medidas conservadoras durante a gravidez, como o uso de meias elásticas, ou eliminação de varizes antes ou após a gravidez.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Atividade Física
circulacao

Pratique exercícios e cuide da sua circulação!!!!!

A prática regular de atividade física é extremamente benéfica para a circulação. A meta ideal são 150 minutos por semana de exercício moderado ou 75 minutos por semana de exercício vigoroso, que podem ser executados com 30 minutos por dia, cinco vezes por semana. No entanto, você também vai experimentar benefícios, mesmo se você divide o seu tempo em dois ou três segmentos de 10-15 minutos por dia.
Exercícios aeróbicos são os melhores para o seu coração, como caminhar, correr, nadar ou andar de bicicleta. Exercícios de força e de alongamento são os melhores para resistência geral e flexibilidade. Os melhores resultados são atingidos quando combinamos os dois.
A maneira mais fácil de iniciar a prática de atividade física é começar a andar.  É um ótimo exercício, agradável, gratuito e de fácil execução. Como não depende de infra-estrutura específica, é fácil adaptar sua rotina a essa prática e, portanto, mantê-la a longo prazo.

A meta de 150 minutos semanais pode parecer exagerada para aqueles que sempre foram sedentários, mas o início pode ser gradual, com metas que se tornam mais exigentes à medida que é observado o progresso da performance. É possível aumentar sua meta gradualmente até atingir 30 minutos , 5 vezes por semana.

Aqui estão algumas dicas para o sucesso do exercício:

  • Antes de inicar qualquer atividade física, uma avaliação médica é fundamental;
  • Use roupas e tênis confortáveis, adequados à atividade escolhida e ao clima local;
  • Aumente gradualmente até pelo menos 30 minutos de atividade mais lintensa;
  • Procure estabelecer um horário fixo, para que isso se torne uma parte regular de seu estilo de vida. Tente fazer disso um hábito, mas seja flexível. Se uma vez você não puder fazer o que se comprometeu, tente se exercitar de alguma outra maneira naquele dia.
  • Encontre um tempo e lugar convenientes para fazer atividades.
  • Procure chances de ser mais ativo durante o dia. Andar no shopping antes de fazer compras, tomar as escadas em vez da escada rolante ou fazer pausas de 10-15 enquanto assiste TV para caminhadas ou outra atividade.
  • Não desanime se você parar por um tempo. Recomece de forma gradual.
  • Não pratique exercícios logo após as refeições, quando está muito quente ou úmido, ou quando você simplesmente não se sentir bem disposto.
  • Escolha uma atividade que não lhe seja exaustiva e tente variar. Dessa forma, o exercício nunca lhe parecerá chato ou de rotina.
  • Convidar familiares ou amigos aumenta as chances de persistência no programa. Ou entre na academia ou grupo de exercícios.
  • Use a música para o manter entretido.
  • Acompanhe sua evolução: Observe as suas atividades em um calendário ou em um diário de bordo. Anote a distância ou duração do tempo de sua atividade e como você se sente após cada sessão.

Dra.Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Microvarizes
ee (2)

A escleroterapia é feita sob anestesia?

O medo de sentir dor é um dos fatores que leva muitos pacientes a postergar o início do tratamento de escleroterapia. Dessa forma, é comum que se questione a possbilidade de realizar o procedimento sob anestesia.  Normalmente, nenhum anestésico local é utilizado durante a sessão, porque as injeções de anestésicos tendem a ser mais dolorosas do que as injeções da própria escleroterapia, já que agulha utilizada nesta última é muito pequena .
Entretanto, durante uma cirurgia de varizes, é possível realizar injeções de escleroterapia enquanto o pacientes ainda estiver sob efeito da anestesia escolhida para a cirurgia.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Microvarizes
1045729-bigthumbnail

8 dúvidas sobre escleroterapia

O que é escleroterapia?

A escleroterapia, também chamada de “aplicação” ou “secagem de vasinhos”, envolve a injeção de uma solução diretamente na veia. Essa solução faz com que a veia colapse e feche, forçando o sangue a se redirecionar para veias saudáveis. A veia fechada é reabsorvida no tecido local e eventualmente desaparece. A escleroterapia também pode ser realizada com laser, quando o feixe de luz do laser atinge a veia e aumenta a temperatura local, a ponto de ebulição, fechando o vaso por causa do calor.

Após escleroterapia, as veias tratadas tendem a desaparecer dentro de algumas semanas, embora, ocasionalmente, possa levar até um mês para ver os resultados completos. Em alguns casos, podem ser necessárias várias sessões de escleroterapia.

A escleroterapia trata principalmente vasinhos. Ela é muitas vezes considerada o tratamento de escolha para pequenas varizes, aquelas veias esverdeadas e grossas, desde que não muito dilatadas.

Por que ela é feita?

A escleroterapia é feita com fins cosméticos nas maioria das vezes. Quando os vasinhos vermelhos fecham, o aspecto da pele melhora. Entretanto, o procedimento também pode ser indicado para melhorar sintomas como dor, inchaço, ardência e cãibras.
Em caso de gestação, recomenda-se esperar até depois do parto para se submeter ao tratamento.

O tratamento é doloroso?

A dor costuma ser pequena ou ausente, com boa tolerância dos pacientes. Ela também pode ser minimizada com a diminuição da temperatura da pele.

Qual técnica de escleroterapia devo escolher?

A escleroterapia pode ser realizada com injeções, espuma e laser. A escleroterapia quimica, conhecida como “aplicação”, utiliza um líquido esclerosante que é injetado por microagulhas dentro dos vasinhos. Existem líquidos diferentes que podem ser utilizados de acordo com a preferência do cirurgião e mesmo de acordo com a resposta individual. Na escleroterapia com espuma, é utilizado o polidocanol, substância esclerosante que é transformada em espuma através de sua manipulação. A espuma apresenta é espessa e por isso mantém contato com a parede do vaso por mais tempo, o que aumenta sua eficácia em relação à aplicação convencional com substância líquida. A escleroterapia com laser elimina os vasinhos pela ação física da luz e calor nos vasinhos.

Cada técnica tem sua indicação e o cirurgião vascular é o especialista recomendado para escolher o melhor tratamento.

Quais os riscos?

Escleroterapia é um procedimento bastante seguro, com poucas complicações. Entretanto, nenhum procedimento é isento de risco e é importante conhecer os efeitos possíveis para permanecer atento aos sintomas e comunicar ao médico caso algo aconteça.

Efeitos colaterais esperados:
Ardência, vermelhidão e coceira leve no local por 12-24hs, pequenos hematomas por 3-15 dias
Efeitos colaterais indesejáveis:
Alergias, coágulos nos pequenos vasos (que devem ser tratados), manchas escuras no local (mais comuns com espuma), pequenas feridas (raro), trombose venosa profunda e embolia pulmonar (raro).

Como se preparar para o tratamento?

É essencial que o paciente seja avaliado em consulta médica para que seu histórico seja avaliado, além da realização do exame físico, quando se pode estabelecer a melhor estratégia de tratamento.

Informações importantes do seu histórico:

  • Doenças recentes ou condições médicas existentes, tais como a doença cardíaca
  • Medicamentos ou suplementos em uso, como anti-inflamatórios, especialmente a aspirina, anticoagulantes ou antibióticos
  • alergias
  • Fumo ou uso de contraceptivos orais, pois estes podem aumentar o risco de coágulos sanguíneos
  • Tratamento prévio para varizes e os resultados do tratamento.

No dia do procedimento:
Procurar comparecer com as pernas depiladas, pois os pelos podem dificultar a identificação dos vasinhos. Evite usar lâmina ou aplicar qualquer loção para as pernas no dia do tratameno. Procure usar uma calça confortável que não deixe marcas na pele. É recomendável levar um short para usar durante o procedimento, para expor melhor as perna.

O que esperar?

Escleroterapia é geralmente feita no consultório do seu médico e não requer anestesia. Geralmente, leva entre 15 a 30 minutos para ser concluída.
O número de aplicações depende do número e do tamanho das veias a ser tratadas. Outros fatores de interferência são a expectativa de melhora, resposta ao tratamento, tolerância à dor, assiduidade e adesão às orientações pós escleroterapia. Alguns vasos desaparecem, outros diminuem e outros não respondem. Por isso, novas sessões são necessárias. Os intervalos entre as sessões devem ser em média de 15 dias.
Após as sessões de escleroterapia pode-se ter vida normal, podendo voltar ao trabalho na mesma hora.
As orientações de pós-escleroterapia variam de acordo com a técnica utilizada e calibre de veia tratada. O cirurgião vascular irá lhe dizer quando você pode retornar as atividades físicas, período sem tomar sol, uso de meias elásticas, cremes ou remédios necessários.

Vasinhos voltam?

Vasinhos novos podem aparecer com o tempo, pois tratamos a consequência, e não a causa da doença.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Sem categoria, Varizes
blog9

Quando devo procurar um cirurgião vascular para tratar minhas varizes?

Muitos pessoas têm dúvidas sobre quando é realmente necessário procurar um cirurgião vascular para tratar suas varizes. Embora as questões estéticas possam motivar a busca pelo tratamento, há muitos que não se importam com o prejuízo estético que as varizes possam lhe causar. Nesses casos, elenco abaixo alterações que devem ser avaliadas por um cirurgião vascular:

  • Varizes sem fatores desencadeantes e com sintomas ou varizes recorrentes mesmo após tratamento (sintomas podem ser: dor, inchaço, etc).
  • Alterações da pele das pernas, como escurecimento, vermelhidão, manchas brancas.
  • Tromboflebites (caracterizadas pelo surgimento de veias endurecidas e dolorosas).
  • Úlcera venosa que não cicatriza em 2 semanas.
  • Úlcera venosa cicatrizada.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Varizes
slider

Qual a melhor opção de cirurgia para varizes?

Recentemente foram publicadas novas recomendações para o tratamento de varizes pela NICE (National Institute foi Health and Care Excellence), instituição inglesa que define diretrizes para tratamentos médicos baseadas nos estudos mais relevantes publicados até o momento.

Ilustração de tratamento de veia safena com laser

Acompanhando a evolução tecnológica por que passou a cirurgia de varizes nos últimos anos, ficou definido que a cirurgia com uso de laser ou radiofrequência é o melhor método atualmente para o tratamento de veias tronculares (como a safena). As opções de espuma e cirurgia convencional só devem ser oferecidos ao paciente na impossibilidade de realizar a cirurgia com laser ou radiofrequência. Além disso, o tratamento conservador apenas com o uso de meias elásticas foi definido como potencialmente nocivo ao paciente, e apenas deve ser aplicado na impossibilidade de realizar qualquer intervenção cirúrgica.

É importante salientar que essas orientações se aplicam apenas ao tratamento de veias como as safenas e não às varizes superficiais comumente salientes nas pernas. Para o tratamento dessas veias, a microcirurgia com pequenas incisões permanece o tratamento proposto, e não há qualquer evidência de que a aplicação com espuma seja superior.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Varizes
duvidas-meias-easticas

Dúvidas frequentes sobre meias elásticas

O uso das meias elásticas melhora o fluxo de sangue nas pernas. Essas meias comprimem delicadamente suas pernas para forçar o sangue nas suas pernas em direção ao coração. Isso ajuda a evitar inchaço nas pernas e, em menor grau, a formação de coágulos sanguíneos (trombose).

As meias , ou meias de compressão, podem ser indicadas pelo médico se o paciente apresentar varizes, vasinhos ou mesmo para aqueles que estiverem se recuperando de cirurgias.

As meias elásticas auxiliam no tratamento de:

  • Dor e sensação de peso nas pernas
  • Inchaço nas pernas
  • Prevenção da trombose, especialmente após cirurgias ou lesões que causem imobilização

Tipos de meias de compressão

Existem várias meias de compressão. O ideal é que seu uso seja orientado por um médico de acordo com as particularidades de cada caso. Há diversos tipos de meias elásticas, que diferem de acordo com o grau de compressão (suave, média ou alta), comprimento (3/4, 7/8, meia-calça, etc.) e cores.

É muito frequente que os pacientes se queixem de da dificuldade em usar as meias por questões estéticas. Entretanto, hoje temos meias mais bonitas e confortáveis, como a Ever Sheer da Sigvaris e a Sheer Soft da Medi.

Onde comprar as meias elásticas

As meias de suave compressão podem ser adquiridas em algumas farmácias e até mesmo lojas de departamento. Já as meias de média e alta compressão podem ser encontradas em casas especializadas.

Como usar as meias de compressão

As meias de compressão devem ser usadas durante todo o dia. A pressão deve ser forte o suficiente para ser percebida pelo paciente, sendo mais intensa no tornozelo e menor na parte de cima da perna.

Como calçar as meias de compressão

  • As meias devem ser vestidas ainda de manhã antes de sair da cama. As suas pernas normalmente ainda não estão inchadas no início da manhã.
  • Segure a parte superior da meia e enrole até o calcanhar.
  • Coloque o seu pé na meia, tanto quanto você puder. Posicione o seu calcanhar no calcanhar da meia.
  • Puxe toda a meia para cima do tornozelo e desenrole-a sobre sua perna.
  • Quando a parte superior da meia já estiver no lugar, puxe o tecido para desfazer as dobras – cuidado com as unhas, anéis e relógios que podem puxar o fio.
  • Não deixe que fiquem dobras na meia .
  • Meias 3/4 devem chegar a dois dedos abaixo da curva do joelho.

Algumas dicas podem ajudar a colocação das meias:

  • Se você usar loção em suas pernas, deixe-a secar antes de colocar as meias.
  • O uso de talco nas pernas pode ajudar as meias a deslizar para cima.
  • Use luvas de borracha para ajudar a colocação.
  • Para meias sem ponteira, use um dispositivo especial para deslizar a meia sobre o seu pé.

Lave suas meias diariamente

  • Lave as meias todos os dias com água e sabão neutro. Deixe secar naturalmente.
  • Se você puder, tenha dois pares. Alternar os pares a cada dia, enquanto o outro é lavado.
  • Troque suas meias a cada 3-6 meses, pois o tecido acaba por perder seu poder de compressão.

Lembre-se:

Embora a pressão deva ser percebida por quem usa a meia, ela não deve ser desconfortável. Se houver qualquer desconforto, o médico deve ser consultado. Pode haver tipos diferentes de meias que se adaptem melhor às suas pernas. Não deixe de usar suas meias sem comunicar seu médico

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Varizes
Physiotherapist working with patient.

Como prevenir as varizes

Muitos pacientes procuram o consultório na busca por orientações sobre como prevenir as temidas varizes. Entretanto, não há uma fórmula para isso. Apesar de conhecermos formas de evitar o surgimento das complicações da doença venosa, como a úlcera varicosa, até o momento, não há publicação científica que tenha demonstrado uma forma eficaz de evitar o surgimento da doença venosa.

Embora seja inevitável que algumas pessoas desenvolvam varizes devido a fatores de influência genética ou hormonal, há algumas medidas gerais que beneficiam a circulação e que devem ser seguidas.

Inicialmente, é necessário entender que as varizes são veias cujas válvulas são incompetentes, o que permite sua dilatação com o sangue estagnado. Elas tornaram-se calibrosas, tortuosas e visíveis através da pele. As válvulas normalmente impedem o fluxo retrógrado de sangue dentro dos vasos sanguíneos  e mantém o fluxo de sangue de volta para o coração. No entanto, quando essas válvulas tornam-se fracas , elas se tornam incapazes de impedir o fluxo de sangue para trás. As válvulas nas veias das pernas são particularmente propensas a esse enfraquecimento, pois elas têm que contrapor as forças da gravidade para manter o sangue fluindo de volta para o coração.

Assim, já é possível compreender algumas das dicas abaixo.

Dicas de Prevenção de varizes

  • Evite permanecer em pé por longos períodos de tempo sem descanso. Isso causará uma pressão desnecessária sobre as pernas, enfraquecendo as válvulas das veias. O mesmo vale para permanecer sentado por longos períodos de tempo sem se levantar de vez em quando, pois vai incentivar a estase de sangue no sistema venoso da perna.
  • Pratique exercícios físicos regularmente. Incorpore atividades que mantenham a sua frequência cardíaca elevada, bem como atividades que promovam o desenvolvimento muscular das panturrilhas, que atuam como bombas da circulação venosa nas pernas.
  • Controle seu peso. Estar acima do peso ou obeso vai aumentar a pressão sobre suas pernas, contribuindo para o enfraquecimento das válvulas nas pernas. Perder peso vai ajudar a reduzir a quantidade de pressão sentida nas pernas, bem como melhorar o fluxo de sangue por todo o corpo, especialmente nas pernas.
  • Evite roupas apertadas e saltos muito altos. Roupas apertadas, especialmente aquelas apertadas ao redor das pernas, virilhas, coxas e na cintura vão impedir a capacidade de válvulas de efetivamente manter o sangue fluindo. Usar saltos maiores que 7cm por longos períodos de tempo pode aumentar a pressão sobre suas pernas, enfraquecendo as válvulas. Você deve tentar usar sapatos de salto baixo em vez disso, como eles podem não apenas diminuir a quantidade de estresse em suas pernas, mas também ajudar a tonificar os músculos em suas panturrilhas.
    Pare de fumar. Fumar e outras formas de tabaco podem prejudicar a circulação sanguínea e exacerbar a formação de veias varicosas.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)