ATEROSCLEROSE, DAOP
1

ATEROSCLEROSE DA ARTÉRIAS DAS PERNAS

Placa obstruindo interior da artéria

As artérias levam o sangue rico em oxigênio do coração para todos os órgãos e tecidos. Quando as artérias das pernas são estreitadas ou bloqueadas, os músculos não recebem oxigênio e nutrientes suficientes. Esta é uma condição chamada de doença arterial obstrituva periférica, ou DAOP.

A doença arterial periférica é causada por um processo chamado aterosclerose, que é o endurecimento das artérias. A aterosclerose é causada pelo acúmulo de placas de ateroma, composta de cálcio, colesterol e tecido fibroso, que causam o endurecimento e estreitamento das artérias. Eventualmente, o acúmulo de placas avança e reduz o fluxo sanguíneo para os membros inferiores.

A doença arterial periférica pode causar dor e, se for grave, pode levar à perda do membro.

QUAIS SÃO OS FATORES DE RISCO?
Existem vários fatores de risco que podem predispor ao desenvolvimento da aterosclerose, não só de membros inferiores como coronária (vasos de coração), carótida (que irrigam o cérebro), enfim, de qualquer artéria do corpo.

Placa de ateroma obstruindo artéria da coxa

Com o envelhecimento, aumenta o risco de desenvolver a aterosclerose. A seguir, os principais fatores de risco para desenvolver a doença arterial:
• Fumar
• Diabetes
• Pressão alta
• Colesterol/Triglicerídeos alto
• Obesidade

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?
Inicialmente, a doença arterial periférica pode ser assintomática. Os sintomas geralmente se iniciam sob a forma de dor para caminhar, dor em repouso, ou mesmo feridas que não cicatrizam.

QUAIS EXAMES EU PRECISO?
O primeiro passo é passar por uma consulta médica em que se tentará definir a suspeita da doença arterial e a necessidade de complementação diagnóstica com exames. Após a avaliação através de exame físico, pode ser necessária a realização de:

  • Ecodoppler: ultra-som que detecta placas e anormalidades do fluxo das artérias.
  • angiotomografia computadorizada: exame que cria imagens detalhadas das artérias para avaliação mais específica.
  • Angiografia: tipo de “cateterismo” destinado à avaliação pré-operatória da doença e programar seu tratamento.

OPÇÕES DE TRATAMENTO
Habitualmente, os casos menos graves são tratados de forma conservadora. O tratamento conservador da doença arterial periférica inclui muitas mudanças no estilo de vida. Entre elas estão:

• Tratamento da pressão alta ou do aumento do colesterol.
• Medicação para reduzir a coagulação sanguínea (clopidogrel, aspirina ou varfarina.
• Vasodilatadores.
• Caminhadas de, pelo menos, 30 minutos, 3 vezes por semana.
• Parar de fumar.
• Dieta adequada às necessidades do paciente.

Quando o tratamento clínico falha ou se a doença já se apresenta mais avançada, pode ser necessário optar pela intervenção cirúrgica. Procedimentos menos invasivos, como a angioplastia, com ou sem implante de stent, pode o primeiro passo para o tratamento. Se as tentativas de procedimentos menos invasivos são
esgotadas, ou as lesões são mais complexas, as cirurgias de bypass ou ou mesmo uma amputação podem ser recomendados para aliviar os sintomas.

O QUE É UMA ANGIOGRAFIA?

Ilustração do acesso pela virilha para angiografia ou angioplastia

A angiografia é um exame da circulação realizado através de um cateterismo, que é a inserção de cateteres em determinado vaso, seja veia ou artéria, para que se realize um estudo de bloqueios ou malformações.

A angiografia pode diagnosticar muitas doenças vasculares, incluindo:
• A doença arterial periférica
• Aneurismas
• Malformações vasculares
• Os coágulos de sangue nas suas veias, também chamado de trombose venosa profunda
• Estreitamento das fístulas artério-venosas
• obstrução das artérias dos rins

Uma angiografia é um exame de imagem invasivo que utiliza meio de contraste e raios-x para visualizar os vasos sanguíneos. Angiografia geralmente é realizada para programação cirúrgica de um procedimento mais invasivo.

Técnica semelhante oferece a possibilidade de realizar o tratamento de algumas doenças vasculares através de angioplastia (dilatação do vasos através de um balão posicionado na ponta de um cateter) ou mesmo com o implante de um stent (tubo de malha metálica que se adere à parede do vaso por dentro, mantendo-o aberto).

RISCOS E COMPLICAÇÕES
A angiografia pode ser mais arriscada para pacientes com doença renal, alergia a iodo, diabéticos em uso de metformina, portadores de doenças cardíacas e problemas de coagulação. Nesses casos, o médico deve orientar medidas especiais que possibilitem a realização do procedimento ou mesmo considerar alternativas.

COMO É REALIZADO O TRATAMENTO DE ANGIOPLASTIA?

Dilatação da artéria com balão e implante de stent no local

Dilatação da artéria com balão e implante do stent no local

• Um cateter é então inserido na sua artéria ou veia do braço ou na virilha. Um corante de contraste é injetado através do cateter, o que possibilita a visualização no raio-X

• As imagens de raios-X permitem obter uma perspectiva mais detalhada sobre a sua condição e tratamento.
• Durante o tratamento, o cirurgião deve optar pela realização de uma angioplastia simples ou por implantar um stent.
• durante a angioplastia, um balão é enfiado pelo cateter e inflado várias vezes para abrir um segmento estreitado de sua artéria ou veia.
• Às vezes, um stent é colocado no segmento estreitado ser tratado com angioplastia por balão.
• Um stent é um tubo composto de metal e de malha que é permanentemente inserido na área de estreitamento para assegurar que a artéria permanece aberta.
• O cateter é então removido e realiza-se pressão sobre o local de inserção do cateter por cerca de 20 minutos para evitar qualquer sangramento.
• A seguir, o membro puncionado para o cateterismo deve ser mantido imobilidade por 6 horas para evitar qualquer sangramento adicional a partir do local de acesso.
• Normalmente se solicita aos pacientes que ingeram bastante líquido para ajudar a limpar o contraste dos rins.

BYPASS / CIRURGIA CONVENCIONAL

Enxerto substitui artéria obstruída na coxa

Enxerto substuindo segmento obstruído da artéria na coxa

O cirurgião pode indicar a realização de uma cirurgia convencional, chamada de “ponte de safena” ou “bypass”. A cirurgia cria um desvio em torno de um segmento de bloqueio ou estreitamento dentro da artéria.

Existem vários tipos de procedimentos de bypass, para vários locais diferentes e utilizado diferentes tipos de materiais (enxertos).
• A fim de criar um desvio, o cirurgião pode usar uma das veias das pernas (safenas, por exemplo) ou um enxerto sintético, de acordo com o caso.

• O cirurgião deve definir previamente à cirurgia, de acordo com os exames realizados, qual será o local doador para a ponte. Durante a sua cirurgia, o cirurgião fará uma incisão no local doador, por exemplo a virilha, para expor o segmento normal de sua artéria, acima da área de bloqueio. Nesse segmento, umas das extremidades do enxerto escolhido será costurado.

• Outra incisão é feita para expor a artéria para além da área de bloqueio. É feita uma incisão na artéria nesse local, onde a outra extremidade do enxerto. Dessa forma, o fluxo de sangue se direciona agora para essa nova passagem e chega às regiões que antes estavam com deficit de irrigação.

RISCOS E COMPLICAÇÕES
• Infecção
• Sangramento
• Trombose do enxerto ou de veias adjacentes
• problemas respiratórios
• Lesão de nervos e dormência
Em alguns casos, pode haver a necessidade de remover algum segmento do pé ou perna se não houver possibilidade de reverter as lesões provocadas pela falta de circulação, ou se não for possível restabelecer a circulação.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Entrevista para o Hagah Saúde sobre como parar de fumar

Entrevista para o Hagah Saúde sobre como parar de fumar

Dia 31 de maio foi o Dia Mundial Sem tabaco. Como muitas doenças vasculares estão relacionadas ao uso do cigarro, a orientação de abandonar o cigarro é recorrente na minha prática de ambulatório. Há algum tempo, já havia escrito um post com algumas dicas para abandonar o cigarro. A equipe do Hagah Saúde (especialmete a Lucila Oliveira) gentilmente me convidou para prestar mais alguns esclarecimentos sobre esse tema tão importante. Aproveito para compartilhar a matéria com você, leitor do blog.

Quer parar de fumar e não sabe como? Confira algumas dicas para largar o vício de uma vez por todas.
Aliar medicamentos à mudança de comportamento pode ser o pontapé inicial.

Que o hábito de fumar faz muito mal à saúde não é nenhuma novidade. Além de piorar o casos de insônia, o cigarro causa câncer de boca, laringe e pulmão, entre outras doenças graves. Na fumaça do tabaco existe cerca de 4 mil substâncias tóxicas.

Dificilmente um fumante passa em uma consulta com um médico sem ouvir um sermão sobre os males do cigarro é o que afirma a cirurgiã vascular Ana Carolina Costa. E para auxiliar aqueles que têm a intenção de abandonar o vício, a médica dá algumas dicas que podem ser muito úteis.

Existem diversos programas voltados ao combate ao tabagismo. Entretanto, a maioria dos fumantes prefere não procurar programas de suspensão do tabagismo e tenta parar de fumar sozinho. Por isso, esses programas costumam ser voltados àqueles indivíduos que não conseguiram parar por si mesmos. Sabe-se que decidir parar de fumar é um grande passo e que a psicoterapia pode contribuir muito no processo.

Vários fumantes são incapazes de deixar de fumar sem um auxílio mais intensivo e, frequentemente, são os fumantes com maior risco de acometimento de doenças relacionadas ao tabaco. Eles devem ser encaminhados para clínicas especializadas, onde o tratamento é feito por uma equipe multidisciplinar, com terapias em grupo, tendo melhor suporte para suas dificuldades, até chegar a abstinência completa, e acompanhamento mais contínuo para prevenir recaídas.

Em primeiro lugar, o mais importante é tomar a decisão definitiva de parar de fumar. Esta é a melhores escolha que se pode fazer para melhorar a saúde, em geral, e acrescentar mais alguns anos de vida. Pessoas que param de fumar, geralmente, vivem mais do que as pessoas que continuam fumando.

Para aumentar as chances de sucesso, é importante se preparar para passar por dois momentos marcantes: o último cigarro e os desejos, impulsos e sentimentos que acompanham esse processo. Defina o dia exato em que você vai parar de fumar e use o tempo até a data estabelecida para se preparar e, gradualmente, reduzir o número de cigarros que fuma.

Como proceder
– Pare de fumar de uma só vez no dia escolhido, sem prolongar as reflexões sobre a decisão;
– Reduza o número de cigarros que fuma por dia, gradativamente, até parar de fumar completamente;
– Fume apenas parte de cada cigarro. Dois dias antes do dia escolhido para parar, você deve fumar não mais do que um quarto de cada cigarro.

Em alguns casos, o uso de medicações pode facilitar a fase inicial de abandono do vício. Se você estiver viciado em nicotina, um medicamento de reposição de nicotina, como goma, spray, ou inalador, pode ajudar a passar pelos momentos mais difíceis. Existem, também, medicamentos que não repõem nicotina, mas podem ajudar a reduzir os sintomas de sua retirada. A bupropiona é o principal exemplo. No entanto, seu uso tem sido associado a relatos de mudanças de comportamento, incluindo hostilidade, agitação, humor deprimido, e pensamentos ou atos suicidas.

Lembre-se: não se auto-medique! Medicamentos podem ajudar muito nesse processo, mas, se não forem usados corretamente, os resultados não serão satisfatórios. Medicamentos são úteis quando usados corretamente e combinados com um programa de modificação do comportamento. Uma avaliação médica é fundamental na hora de iniciar o uso de qualquer medicação. É fundamental que o médico acompanhe seus efeitos.

Prepare-se para abandonar o vício:
– Tenha alimentos com baixo teor de gordura para comer quando parar de fumar, como frutas frescas, balas, chicletes;
– Compense cada dia sem fumar com uma atividade prazerosa, como assitir a um filme, visitar amigos, passear, ter um hobby;
– Livre-se de cada cigarro, fósforo, isqueiro e cinzeiro de sua casa, escritório e carro;

– Fique atento aos grandes benefícios e mudanças que parar de fumar lhe trará, como a melhora da circulação sanguínea, controle da pressão arterial e frequência cardíaca e retorno dos níveis de oxigênio no sangue ao normal.

Poucos dias após abandonar o cigarro, sua respiração torna-se mais fácil e seus sentidos do olfato e paladar melhoram. E não se desespere. Como acontece com qualquer vício, é esperado sentir desejo de fumar após deixar o cigarro. A vontade de fumar deve diminuir diariamente, após você parar, mas é preciso se preparar para evitar recaídas. Outro truque é marcar no calendário o número de dias desde que você abandonou o cigarro. Enquanto os dias passam, você vê há quanto tempo está sendo persistente.

http://saude.hagah.com.br/especial/rs/qualidade-de-vida-rs/19,0,3773361,Quer-parar-de-fumar-e-nao-sabe-como-Confira-algumas-dicas-para-largar-o-vicio-de-uma-vez-por-todas.html

DAOP
No smoking

Dicas para quem decidiu parar de fumar

Dificilmente um fumante passará em consulta com um cirurgião vascular e não ouvirá um sermão sobre os males do cigarro. Como forma de auxiliar aqueles que têm a intenção de abandonar esse hábito, descrevo algumas dicas que podem ser úteis.

O mais importante é decidir parar de fumar. Esta é uma das melhores coisas que você pode fazer para melhorar sua saúde geral e acrescentar anos a sua vida. Pessoas que param de fumar geralmente vivem mais do que as pessoas que continuam fumando.
Para aumentar as chances de sucesso, é importante se preparar para : 1) o seu último cigarro e 2) os desejos, impulsos e sentimentos que acompanham esse processo.

Escolha uma data dentro dos próximos sete dias em que você vai parar de fumar. Use o tempo até o  dia escolhido para se preparar e gradualmente reduzir o número de cigarros que fuma.

Há três maneiras de parar de fumar. Escolha o método que lhe pareça melhor:

  1. Parar de fumar de uma só vez no dia escolhido., sem prolongar as reflexões sobre a decisão.
  2. Reduzir o número de cigarros que fuma por dia gradativamente até parar de fumar completamente. Por exemplo, se você fuma 20 cigarros por dia agora, reduzida a 10 por dia, durante dois ou três dias. Depois corte a cinco cigarros por dois ou três dias. Até chegar o dia escolhido para parar de fumar completamente.
  3. Fumar apenas parte de cada cigarro: Reduza progressivamente quanto fuma de cada cigarro. Dois dias antes do dia escolhido para parar, você deve fumar não mais do que 1 / 4 de cada cigarro.

Em alguns casos, o uso de medicações pode facilitar a fase inicial de abandono do vício. Faça o teste a seguir para descobrir se medicamentos podem ajudá-lo.
1. Quantos cigarros você fuma por dia?
a. 0-5
b. 6-10
c. 11-15
d. 16-20
e. 21-25
f. Mais de 25

2. Quando você está em casa doente e ficar na cama toda a estada, você ainda fuma? S/N
3. Depois de acordar de manhã, você tem o seu primeiro cigarro dentro de 30 minutos? S/N

Se você fuma mais de 25 cigarros por dia, e você respondeu “Sim” à pergunta n º 2 ou n º 3, você pode estar viciado em nicotina. Um medicamento de reposição de nicotina (goma, spray, patch ou inalador) pode ajudá-lo a parar de fumar.

Existem também medicamentos que não repõem nicotina, mas que podem ajudar a reduzir os sintomas de sua retirada. A bupropiona é o principal exemplo, mas deve-se salientar que seu uso tem sido associado a relatos de mudanças de comportamento, incluindo hostilidade, agitação, humor deprimido, e pensamentos ou atos suicidas.

Medicamentos são mais úteis quando usados corretamente e combinados com um programa de modificação do comportamento como este. Uma avaliação médica é fundamental para a decisão de iniciar qualquer medicações e acompanhar seus efeitos.

Prepare-se para abandonar o vício

  • Tenha alimentos com baixo teor de gordura para comer quando parar de fumar, tais como: Frutas frescas, balas, chicletes ou outros alimentos de preferência (apenas os saudáveis…).
  • A cada dia sem fumar, compense-se com uma atividade prazerosa, como: assitir a um filme, visitar amigos, passeios, um hobby.
  • Livre-se de cada cigarro, fósforo, isqueiro e cinzeiro de sua casa, escritório e carro.

Fique atento aos grandes benefícios e mudanças que parar de fumar lhe trará: melhora da circulação sanguínea, melhora do controle da pressão arterial e freqüência cardíaca e retorno dos níveis de monóxido de carbono e oxigênio no sangue ao normal. Poucos dias após abandonar o cigarro, sua respiração se torna mais fácil e os seus sentidos do olfato e paladar melhoram.

É esperado sentir desejo de fumar após deixar o cigarro. A vontade de fumar deve diminuir diariamente após você parar de fumar. Mas é preciso se preparar para evitar recaídas.

  • Marque no calendário o número de dias desde que você abandonou o cigarro. Enquanto os dias passam, você vai ver quanto tempo investiu em parar – mais uma razão para ficar sem fumar.
  • Não se auto-medique! Medicamentos podem ajudar muito esse processo, mas se não forem usados corretamente, os resultados não serão satisfatórios.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)