Escleroterapia

A escleroterapia é um tratamento varizes e vasinho, sendo considerada o tratamento de escolha para aquelas de pequeno calibre. Esse tratamento envolve a injeção de uma solução diretamente na veia . Essa solução produz uma lesão na parede interna da veia que leva à formação de uma cicatriz no seu interior, forçando o sangue a se redirecionar para veias saudáveis próximas. A veia colapsada é reabsorvida e eventualmente desaparece .
Após a escleroterapia , as veias tratadas tendem a desaparecer dentro de algumas semanas , embora , ocasionalmente, possa demorar um mês ou mais para atingir os melhores resultados. É comum que sejam necessárias várias sessões para atingir um tratamento completo.

Por que fazer escleroterapia?

  • fins cosméticos – para melhorar a aparência de varizes e vasinhos
  • O procedimento também pode melhorar sintomas relacionados à presença dos vasinhos, tais como: dor, inchaço, queimação, cãibras noturnas

Obs: Grávidas e pacientes amamentando devem esperar para realizar a escleroterapia.

Riscos
Escleroterapia é um procedimento bastante seguro, com poucas complicações.

Efeitos colaterais temporários
Alguns efeitos colaterais que podem ocorrer no local da injeção:

  • Dor
  • Pontos vermelhos elevados
  • Pequenas feridas ou cascas
  • Manchas ou linhas escuras
  • Pequenos vasinhos vermelhos e numerosos

Estes efeitos secundários geralmente desaparecem dentro de alguns dias a várias semanas. Alguns podem levar meses ou mesmo anos para desaparecer completamente e alguns exigem tratamento específico, com uso de cremes ou aplicação de laser.

Algumas complicações menos comuns podem necessitar de tratamento. São elas:

  • Inflamação: geralmente leve, mas pode causar inchaço, calor e desconforto ao redor do local da aplicação. O uso de anti-inflamatório pode ser necessário.
  • coágulo de sangue: um coágulo pode se formar em uma veia tratada e exigir a drenagem. Raramente, um desses coágulos pode progredir para uma veia profunda na perna e provocar uma trombose venosa profunda.
  • Embolia gasosa: Pequenas bolhas de ar podem subir pela corrente sanguínea. Nem sempre causam sintomas, mas podem ocorrer distúrbios visuais, dor de cabeça, desmaios e náuseas. Estes sintomas geralmente são de curta duração e desaparecem sem tratamento.
  • Reação alérgica. Raramente pode ocorrer uma reação alérgica à solução utilizada para o tratamento.

Preparo para escleroterapia
Antes de se submeter à escleroterapia, é importante passar em consulta médica para a realização de exame físico detalhado, além da avaliação do seu histórico médico.

Durante a consulta, o médico irá:

  • Avaliar suas veias envolvidos
  • Verificar se há qualquer doença dos vasos sanguíneos próximos

Histórico médico: são importantes quaisquer doenças recentes ou pré-existentes, tais como doenças cardíacas ou predisposição à formação de coágulos; medicamentos de uso contínuo, especialmente aspirina, anti-inflamatórios, anticoagulantes, suplementos de ferro; Alergias em tratamentos prévios de varizes e os resultados dos tratamentos anteriores.
Pacientes em uso de aspirina ou antiinflamatórios podemser instruídos a parar de tomar a medicação durante um determinado período de tempo antes do procedimento, para reduzir as chances de hemorragia.

Ultra-som
Dependendo do calibre e localização das veias envolvidas, pode-se solicitar ultra-sonografia das veias nas pernas, chamado ecocolordoppler. Esse exame é indolor e usa ondas sonoras para produzir imagens de estruturas dentro do corpo.

Orientações pré-procedimento
Durante 24 horas antes do procedimento, evitar barbear ou aplicar qualquer loção para as pernas. Use roupas soltas e confortáveis no dia do procedimento.

Resultados
Os resultados definitivos podem ser observados em três a seis semanas. Veias maiores podem levar três a quatro meses. No entanto, podem ser necessárias várias sessões para alcançar os resultados desejados.
As veias que respondem ao tratamento não voltam, mas novas veias podem aparecer.
Está indicado agendar uma visita de seguimento cerca de um mês após a escleroterapia para verificar o sucesso do procedimento e decidir se mais sessões serão necessárias. Sugere-se um intervalo de duas a seis semanas entre as sessões de escleroterapia. A taxa de sucesso total no tratamento de escleroterapia consiste em eliminar cerca de 60 a 80% das veias tratadas.