Atividade Física
3

Quer ter pernas saudáveis?

Já mencionei em outros posts que as varizes podem ser minimizadas (mas não totalmente evitadas) por um estilo de vida saudável. Embora a hereditariedade determina quando as varizes surgirão e sua gravidade, elas ainda podem ser tratadas.

Estimular a circulação positivamente é bastante simples, e a melhor maneira de fazer isso é manter-se ativo e em forma. A boa circulação minimiza os sintomas de varizes, e qualquer atividade como caminhada, corrida, natação e deve produzir um bom estímulo. Descansar com as pernas elevadas também ajuda a aliviar a pressão sobre as pernas.
Para aqueles que têm uma história familiar de varizes, o uso de meias de compressão pode ser uma boa opção. Essas meias controlam o inchaço e reduzem a dor que está associada a varizes. Apesar de não resolver as varizes, melhorar os sintomas já pode ser de grande ajuda.

Manter uma dieta saudável também é uma forma essencial para manter as pernas saudáveis e assim controlar o aparecimento de varizes. Combinada com o exercício regular, como já mencionado, uma dieta saudável pode retardar o surgimento de varizes. O exercício físico regular e uma dieta saudável promovem a saúde total, e favorecem a circulação e a movimentação das pernas de maneira geral.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Atividade Física
meias

Meias de compressão: Benéficas ou inúteis?

Já é amplamente conhecido o fato de que as meias de compressão minimizam a dor causada pelas varizes. Mas seu uso atualmente vai além disso e está se tornando tendência nas maratonas e academias.

Quanto mais pessoas descobrem a importância de cuidar da saúde das pernas, maior é a aderência ao uso das meias de compressão. Tanto corredores de maratonas, quanto viajantes de longas distâncias ou mesmo pessoas que trabalham em pé além de 8 horas, podem se beneficiar da adição de uma leve pressão nas pernas.

O crescente uso das meias em eventos esportivos foi estimulado por estudos recentes que demonstraram a melhora na performance durante e após o exercício quando usadas por atletas. Enquanto a ciência ainda está debatendo se meias de compressão realmente ajudam a aumentar o desempenho no exercício, não há dúvida, entretanto, sobre os seus benefícios para a saúde, tais como:
-Ajudar a aumentar a circulação e minimizar a fadiga (contribuindo para uma recuperação mais rápida).
-Prevenção do acúmulo de ácido lático e inchaço durante a prática de atividade física.
-Ajudar a reduzir a dor e os sintomas de varizes e vasinhos.

Se você é um ávido atleta tentando se recuperar de treinamentos recentes ou um novato tentando sair do sofá, aplicar pressão nas pernas com meias de compressão pode ajudar. Especialmente para iniciantes que não estão acostumados com atividade física, as meias são uma ótima maneira para ajudar a circulação e controlar a inflamação.
A questão sobre a melhora da performance durante o exercício ainda não está totalmente esclarecida. Entretanto, o uso das meias é vantajoso independente disso. Mas sempre com orientação médica.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Varizes
dd

É possível realizar escleroterapia durante a gestação?

De acordo com a literatura, o tratamento de varizes vulvares dolorosas pode ser feito durante a gravidez. Há inúmeros relatos de pacientes submetidas a escleroterapia  para varizes das pernas durante a gestação de maneira intencional ou acidental, sem qualquer prejuízo para o feto. Entretanto, esses relatos tem pouco valor para avaliação de segurança. Segundo as diretrizes e informações dos fabricantes dos principais esclerosantes disponíveis no mercado , a gravidez é uma contra-indicação para a escleroterapia, pois seus estudos de segurança foram conduzidos apenas em animais (devido às questões éticas óbvias desse tipo de pesquisa).

Assim, ainda que os relatos de casos não indiquem risco aumentado para a mãe ou para o feto, a realização desse procedimento na gestação deve ser evitada. Além da literatura científica limitada sobre o assunto, ainda há a a alta probabilidade de regressão espontânea de varizes pós-parto. Dessa forma, deve-se preferir medidas conservadoras durante a gravidez, como o uso de meias elásticas, ou eliminação de varizes antes ou após a gravidez.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Varizes
duvidas-meias-easticas

Dúvidas frequentes sobre meias elásticas

O uso das meias elásticas melhora o fluxo de sangue nas pernas. Essas meias comprimem delicadamente suas pernas para forçar o sangue nas suas pernas em direção ao coração. Isso ajuda a evitar inchaço nas pernas e, em menor grau, a formação de coágulos sanguíneos (trombose).

As meias , ou meias de compressão, podem ser indicadas pelo médico se o paciente apresentar varizes, vasinhos ou mesmo para aqueles que estiverem se recuperando de cirurgias.

As meias elásticas auxiliam no tratamento de:

  • Dor e sensação de peso nas pernas
  • Inchaço nas pernas
  • Prevenção da trombose, especialmente após cirurgias ou lesões que causem imobilização

Tipos de meias de compressão

Existem várias meias de compressão. O ideal é que seu uso seja orientado por um médico de acordo com as particularidades de cada caso. Há diversos tipos de meias elásticas, que diferem de acordo com o grau de compressão (suave, média ou alta), comprimento (3/4, 7/8, meia-calça, etc.) e cores.

É muito frequente que os pacientes se queixem de da dificuldade em usar as meias por questões estéticas. Entretanto, hoje temos meias mais bonitas e confortáveis, como a Ever Sheer da Sigvaris e a Sheer Soft da Medi.

Onde comprar as meias elásticas

As meias de suave compressão podem ser adquiridas em algumas farmácias e até mesmo lojas de departamento. Já as meias de média e alta compressão podem ser encontradas em casas especializadas.

Como usar as meias de compressão

As meias de compressão devem ser usadas durante todo o dia. A pressão deve ser forte o suficiente para ser percebida pelo paciente, sendo mais intensa no tornozelo e menor na parte de cima da perna.

Como calçar as meias de compressão

  • As meias devem ser vestidas ainda de manhã antes de sair da cama. As suas pernas normalmente ainda não estão inchadas no início da manhã.
  • Segure a parte superior da meia e enrole até o calcanhar.
  • Coloque o seu pé na meia, tanto quanto você puder. Posicione o seu calcanhar no calcanhar da meia.
  • Puxe toda a meia para cima do tornozelo e desenrole-a sobre sua perna.
  • Quando a parte superior da meia já estiver no lugar, puxe o tecido para desfazer as dobras – cuidado com as unhas, anéis e relógios que podem puxar o fio.
  • Não deixe que fiquem dobras na meia .
  • Meias 3/4 devem chegar a dois dedos abaixo da curva do joelho.

Algumas dicas podem ajudar a colocação das meias:

  • Se você usar loção em suas pernas, deixe-a secar antes de colocar as meias.
  • O uso de talco nas pernas pode ajudar as meias a deslizar para cima.
  • Use luvas de borracha para ajudar a colocação.
  • Para meias sem ponteira, use um dispositivo especial para deslizar a meia sobre o seu pé.

Lave suas meias diariamente

  • Lave as meias todos os dias com água e sabão neutro. Deixe secar naturalmente.
  • Se você puder, tenha dois pares. Alternar os pares a cada dia, enquanto o outro é lavado.
  • Troque suas meias a cada 3-6 meses, pois o tecido acaba por perder seu poder de compressão.

Lembre-se:

Embora a pressão deva ser percebida por quem usa a meia, ela não deve ser desconfortável. Se houver qualquer desconforto, o médico deve ser consultado. Pode haver tipos diferentes de meias que se adaptem melhor às suas pernas. Não deixe de usar suas meias sem comunicar seu médico

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

linfedema, Microvarizes, Trombose Venosa Profunda, Varizes
10(61)

Alívio para pernas cansadas

Com essas temperaturas de Verão que tem feito em Porto Alegre em pleno, acabei por ter a oportunidade de testar um produto que só esperava fazê-lo lá por dezembro. Fui chamada para auxiliar uma cirurgia cardíaca de urgência e, claro, estava sem minhas meias elásticas aquele dia. Resultado: pernas MUITO cansadas. Foi então que, ao chegar em casa, resolvi testar o Clarins Lait Jambes Lourdes.

Trata-se de um dos produtos mais tradicionais nessa linha de cremes para aliviar os sintomas de “pernas pesadas”, como o próprio nome já sugere. O cheiro é agradável e não é muito forte, se considerarmos que esses produtos sempre tem o cheiro de menta bem presente. Contém erva de São João, camomila, avelã, majericão e sálvia. Absorve rápido na pele e deixa uma boa textura.

Esses cremes devem ser aplicados de forma semelhante: espalhe um quantidade suficiente do creme a partir dos pés e tornozelos até a parte de baixo da coxa, logo acima do joelho. Massageie com movimentos de baixo para cima, como uma drenagem linfática.

Existem vários cremes para essa finalidade, porém confesso que nunca havia testado por simplesmente não acreditar que funcionassem. Entretanto, como muitas pacientes me pedem orientações para alívio desses sintomas, resolvi testar. Fiquei bastante satisfeita, pois aquela sensação de latejamento ao deitar após 6 horas em pé numa cirurgia foi substituída pelo frescor do creme.

Devo acrescentar que tenho um daqueles “travesseiros anti-varizes”, que elevam os pés, e também faço uso dele sempre que o dia é mais puxado. No dia seguinta, já estava sem dor. Mas, na dúvida, saí de meia elástica…

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Microvarizes, Serviços
ww

Projeto “Pernas mais bonitas” para o Verão 2013

Durante os meses mais quentes do ano, muitas pacientes abandonam o tratamento de varizes por motivos de férias, viagens, banhos-de-sol, dificuldade de uso de meias elásticas pelo calor… Enfim, motivos não faltam, embora seja perfeitamente possível seguir o tratamento desde que se esteja disposta a tomar alguns cuidados.

Entretanto, para quem tem se incomodado com as varizes em suas pernas, seja por motivo estético ou não, a queda das temperaturas abre caminho para iniciar o tratamento das varizes. E quanto antes melhor, já que é um tratamento demorado, que exige dedicação e perseverança por muitos meses, em alguns casos (depende de quanto tempo você deixar as varizes crescerem descontroladamente em suas pernas).

Por se tratar de um problema crônico para o qual não há cura, o tratamento de varizes deve ser contínuo. Se você fez um tratamento há algum tempo e novas varizes apareceram, isso não deve desmotivá-la a realizar um outro tratamento. Ao contrário, deve estimulá-la a procurar ajuda o mais rápido possível, antes que as varizes voltema lhe causar o mesmo desconforto de antes.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Há mais causas de inchaço que apenas varizes….

Há mais causas de inchaço que apenas varizes….

Paciente portadora de linfedema da perna direita

Durante os dias mais quentes do ano, queixas de inchaço nas pernas são muito comuns. Bastam algumas horas em pé e lá está ele, acompanhado ou não de sintomas como dor, coceira, vermelhidão. Embora muitas pessoas nunca tenham ouvido falar desta condição, o linfedema é uma causa comum inchaço de pernas e braços devido ao acúmulo local de líquido linfático.

Para entender melhor esse acúmulo, é preciso entender que existem três tipos de vasos sanguíneos no corpo. Artérias entregam o sangue rico em oxigênio e nutrientes do coração para os tecidos e órgãos do corpo. Já as veias levam o sangue de volta ao coração para ser novamente oxigenado pelos pulmões. Os vasos linfáticos são um terceiro tipo de vaso sanguíneo que transporta fluidos a partir dos tecidos e órgãos do corpo de volta para as veias.

Os vasos linfáticos são tubos longos e de paredes finas que formam uma rede muito complexa nos braços e nas pernas. Em alguns casos, estes vasos linfáticos estão ausentes, danificados ou destruídos, e o fluido linfático se acumula nos tecidos do braço ou perna, causando inchaço grave.

Muitas coisas podem danificar os vasos linfáticos e causar linfedema, incluindo câncer e tratamento de câncer (como cirurgia ou radioterapia), infecções, outros procedimentos cirúrgicos e determinadas lesões. Em alguns casos, o linfedema é uma condição hereditária que está presente ao nascimento ou se desenvolve durante os primeiros anos de vida ou na puberdade. Nestes casos hereditários, há geralmente um membro da família que também teve linfedema.

Ilustração de edema de tornozelos

O inchaço produzido pelo linfedema normalmente não é doloroso, mas pode causar desconforto, dor forte e até limitar a função de braços ou pernas, além de aumentar o risco de certas infecções

Nas fases iniciais de linfedema, o inchaço é macio. Nas fases mais avançadas, um tecido cicatricial fibroso pode se desenvolver no membro inchado, causando uma textura mais densa do inchaço e pele com aspecto de casca-de-laranja. O peso do membro pode estar aumentado, o que limita sua função e dificulta a realização de exercícios.

Além do inchaço, os pacientes com linfedema estão sob risco de desenvolver certos tipos de infecções da pele no braço ou perna, conhecido como celulite e linfangite. Além disso, quadros de linfedema grave e de longa data também aumentam o risco de desenvolver certos tipos de câncer, embora isso seja muito raro.

O linfedema é geralmente diagnosticado com base na história clínica e exame físico. Ele deve ser diferenciado de outras causas de inchaço dos membros, incluindo insuficiência venosa, varizes, trombose venosa profunda, insuficiência cardíaca congestiva, além de outras doenças que acometam rins, fígado e tireóide, e a própria obesidade.

Em alguns casos, pode ser necessária a realização de exames complementares, como a linfocintilografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética, exames de sangue, ou mesmo o ecodoppler.

Uso de braçadeira-elástica em paciente com linfedema de braço

Embora seja incomum curar completamente o linfedema, a maioria das pessoas que recebem o tratamento adequado pode levar uma vida normal e ativa.

A terapia mais importante para o linfedema é o uso de compressão elástica, seja como meias ou braçadeiras-elásticas, que devem ser usadas diariamente, e removidas durante a noite para dormir. A graduação da compressão necessária deverá ser indicada por um especialista, pois algumas meias elásticas podem não oferecer a compressão adequada ao tratamento.

Bomba de compressão pneumática

Além disso, a drenagem linfática e exercícios específicos também desempenham papel importante no tratamento. Em alguns casos, uma bomba de compressão pneumática pode ser utilizada nos braços ou pernas em casa para tratamento adicional.

Raramente, o tratamento cirúrgico pode ser recomendado para pacientes com linfedema avançado que não responderam ao tratamento clínico. Os resultados desses procedimentos são pouco animadores.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Microvarizes, Varizes
pernas-inc

Como lidar com as pernas inchadas nas férias de verão?

Com a aproximação do verão, sobem as temperaturas e alguns sintomas circulatórios se intensificam, principalmente o inchaço das pernas. Isso é observado principalmente naqueles que trabalham muito tempo sentados ou em pé na mesma posição, e por quem passa por uma viagem longa, seja ela de avião, carro ou ônibus.

Quando o corpo é exposto à temperatura elevada, as veias do corpo se dilatam, o que pode causar inchaço, formigamento, sensação de peso e dor nas pernas e nos pés, ainda que não existam varizes visíveis. Na maioria dos casos, não há qualquer problema que necessite correção através de cirurgia, e apenas medidas clínicas podem ser utilizadas.

As dicas abaixo relacionadas devem ser seguidas durante todo o ano, mas ,em especial, nas épocas de grande calor.

  • Aumente a ingestão de líquidos, principalmente água.
  • Diminua o consumo de sal nas refeições, pois ele favorece a retenção de líquidos
  • Controle o excesso de peso: o aumento do volume abdominal sobrecarrega o sistema venoso.
  • Fortaleça a musculatura da panturrilha (batata da perna): pratique atividade física específica para o fortalecimento dessa região ao menos 3 vezes por semana, pois ela contribui para o bom funcionamento da circulação.
  • Em repouso, eleve as pernas para favorecer a regressão do inchaço.
  • Evite permanecer muito tempo em ambientes com temperaturas elevadas

Nos casos de viagens longas, que exigem longos período na posição sentada, algumas dicas adicionais podem ser seguidas:

  • faça movimentos circulares com os pés e tornozelos e para cima e para baixo, a fim de estimular a circulação sanguínea;
  • vista roupas leves e confortáveis;
  • em viagens longas de avião, procure caminhar no corredor, passear e ficar em pé por alguns momentos;
  • em viagens de ônibus, fique em uma posição confortável e aproveite as paradas para caminhar;
  • em viagens de carro, é recomendável parar a cada duas horas, descer do carro, alongar o corpo e caminhar um pouco;

O uso de meias elásticas também auxiliam no controle do inchaço. Elas podem ser utilizadas diariamente ou especificamente para viagens e outras situações especiais, mas sempre sob orientação médica.

É importante a avaliação de um médico especialista em Cirurgia Vascular para verificar as causas dos sintomas e a melhor forma de tratamento.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

“Médicos divulgam novas orientações sobre meias compressoras”

“Médicos divulgam novas orientações sobre meias compressoras”

Entidade divulga diretrizes para ajudar médicos a prescrever tratamento.
Meias são úteis para levar sangue ao coração em pessoas com varizes.
Do G1, em São Paulo

17/10/2011 07h00

Médicos divulgaram novas recomendações para o uso da meia compressora em tratamentos de doenças vasculares, durante congresso médico realizado em São Paulo em outubro. O conjunto de orientações foi reunido após consulta a 142 especialistas, durante dois anos.

O objetivo da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) ao revelar as recomendações é padronizar o atendimento médico que utilizar as meias elásticas.

A meia elástica é útil para fazer o sangue retornar ao coração e é indicada para pessoas que tenham varizes e inchaço nas pernas. Os especialistas afirmam que o uso das meia reduz as dores, mas não impede o aparecimento das marcas.

Uma das diretrizes prega que, para prescrever a meia elástica no tratamento de varizes, os médicos devem saber a compressão exata de que o paciente precisa, o melhor modelo (3/4, 7/8, meia tipo calça) e o tamanho da perna. Cada paciente precisa ter a sua própria indicação e os médicos rechaçam a prática de emprestar meias de outras pessoas.

Fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/10/medicos-divulgam-novas-orientacoes-sobre-meias-compressoras.html

Comentário da Dra. Ana Carolina:

Muitos pacientes portadores de doença venosa resistem ao uso adequado das meias elásticas, mesmo após tratamento com cirurgia ou cicatrização de feridas. Grande parte dessa dificuldade se deve ao nosso clima (usá-las no verão não é tarefa fácil mesmo para os mais disciplinados) e também pelo aspecto inestético da maioria das meias disponíveis no mercado.

As novas diretrizes reforçam os benefícios do uso das meias nos pacientes portadores de doença venosa em diferentes situações e também em gestantes, como forma de tratar sintomas de dores nas perna e inchaço.

Também foi discutido o uso de meias elásticas após as sessões de escleroterapia. Há estudos divergentes na literatura quanto a esssa prática e a pesquisa que embasou essa recomendação atual se fundamenta em questionário de avaliação dos próprios pacientes tratados. Embora a avaliação subjetiva de resultados deva sempre despertar alguma desconfiança, esse resultado sugere que a avaliação deve ocorrer caso a caso.

Entretanto, uma prática comum foi condenada no texto das novas diretrizes: o uso de meia elástica sem indicação médica. A facilidade de compra dessas meias em farmácias ou lojas de departamentos permite que pessoas comprem essas meias sem nenhuma avaliação ou orientação. É importante lembrar que o uso de meia elástica tem indicações específicas e deve sempre ser orientado por médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular.

Dra. Ana Carolina Freire Costa, médica (CRM/RS 32837)

Meia elástica esportiva e varizes

Meia elástica esportiva e varizes

Para os pacientes que já apresentam varizes, é recomendável que a prática de exercícios seja feita com as meias elásticas. Entretanto, muitos reclamam do desconforto gerado pelo uso das meias.

Os esportistas mais atentos já devem ter observado alguns corredores com meias pouco abaixo dos joelhos mesmo em dias de temperaturas mais elevadas. Trata-se das meias elásticas esportivas, uma recente inovação no mundo dos atletas de alta performance em corridas.

Estudos com corredores profissionais demonstraram que o uso de meias de compressão durante a corrida melhora a performance do atleta e proporciona melhor recuperação pós-esforço. O mecanismo responsável por esses resultados permanence pouco explicado, mas foi sugerido que se deva a menores níveis de ácido lático pós-atividade, redução de trauma muscular e melhora na performance e no retorno venoso.

Esses efeitos foram alcançados mesmo com meias de suave compressão, que também foram consideradas as mais confortáveis de se usar pelos atletas. A vantagem dessas meias para os portadores de doença vascular e que usam meis elásticas regularmente está no desenvolvimento de materiais diferenciados adequados à práticas esportiva. É razoável presumir que ela trará benefícios ao atleta tanto amador como profissional de várias modalidades esportivas.

Deve-se lembrar que a maioria dessas pesquisas foi feita com atletas profissionais e não foram testados os resultados em esportistas amadores. Portanto, antes de decidir aderir à nova tendência, é importante procurar um médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, pois em alguns casos essas meias podem ser contraindicadas. Uma avaliação adequada poderá fornecer as orientações necessárias e evitar maiores riscos.

Bibliografia:
Ali A, et al. The effect of graduated compression stockings on running performance. J Strength Cond Res. 2011 May;25(5):1385-92.

Kemmler W, et al. Effect of compression stockings on running performance in men runners. J Strength Cond Res. 2009 Jan;23(1):101-5.

Dra. Ana Carolina Freire Costa, médica (CRM/RS 32837)