Tratamento de Varizes Pélvicas

“Embolização”é a ténica que trata as Varizes Pélvicas

Fonte: www.segs.com.br

A dor pélvica gera problemas psicológicos, como depressão e perda da auto estima

Até então pouco conhecido e pouco valorizado quando o assunto é Varizes Pélvicas, mas o diagnóstico e o interesse nas varizes pélvicas vem aumentando entre os cirurgiões vasculares e ginecologistas.

As varizes pélvicas são reconhecidas pelo aumento do diâmetro das veias que envolvem a parte externa do útero e dos ovários e está ligada à fragilidade do sistema vascular. A doença é diagnosticada através do exame de ultrassom pélvico e ou transvaginal.

No Brasil ainda há poucos estudos de prevalência dessa doença, porém nos Estados Unidos e Europa estima-se que em torno de 15% da população tem a doença.

Segundo o Dr. José João Lopes, cirurgião vascular e angiologista, pós-graduado em Angiologia e Cirurgia Vascular, a queixa principal das mulheres quanto a varizes pélvicas é a dor e o desconforto pélvico relacionados a fase pré menstrual e durante a relação sexual, caso este, que leva a problemas emocionais e até a perda da auto-estima. “Acredita-se que com os novos meios de diagnóstico e tratamento, muitos dos casos sintomáticos serão diagnosticados e tratados. O diagnóstico é feito quando a mulher relata estes sintomas e é confirmado pelo ultrassom pélvico e transvaginal” , afirma.

A técnica mais moderna e que dá melhor resultado é a  ”embolização”, que é a colocação de pequenas molas dentro de veias pélvicas realizadas por cateterismo, através de uma simples punção em veia na região da virilha e que não precisa de internação hospitalar (tratamento endovascular).

Muitas mulheres que sentem dor no ato sexual e não se encontra a causa, podem ter varizes pélvicas. Às vezes quem têm varizes pélvicas também têm varizes vulvares ou na região da coxa indo para a nádega. “Fluxo menstrual anormal e sensação de cansaço ou dor em pé com piora no final do dia podem ser sinal da presença de varizes pélvicas”, afirma Dr. José João.

O médico explica que as causas mais frequentes das varizes pélvicas são: dores na região pélvica, desconforto durante e após a relação sexual, fragilidade do sistema vascular, hereditariedade, sedentarismo, distúrbios hormonais, aumento da vontade de urinar, sensação de peso nas pernas agravado no período pré-menstrual, corrimento anormal, cólica inexplicável e sangramento menstrual exagerado.

A maioria das pessoas dá pouca importância ao fato. O Dr. José João Lopes esclarece que o tratamento é simples e não precisa internação. Pode estar associado a múltiplas gestações e geralmente atinge mulheres acima de 30 anos. Muitas delas, por não terem sido diagnosticadas e, consequentemente, não tratadas têm frigidez secundária.

dor abdominal Tratamento de Varizes PélvicasComentários:

Há alguns anos, o tratamento das varizes pélvicas era considerado extremamente arriscado pela maioria dos médicos. Poucos eram os cirurgiões que se sentiam confortáveis a realizá-lo ou mesmo a indicar a seus pacientes. Tanto receio acabou tornando esse diagnóstico quase desconhecido de alguns médicos que, na impossilidade de propor um tratamento efetivo, já nem sequer o pesquisavam. Não é incomum encontrar mulheres que passaram anos em sofrimento por dores adbominais relacionadas às varizes pélvicas sem que qualquer tratamento eficaz fosse proposto.

Entretanto, com o avanço da cirurgia endovascular, o tratamento das varizes pélvicas se tornou mais simples e factível em grande número de pacientes. Sua indicação deve sempre estar embasada na avaliação combinada de especialistas, principalmente o ginecologista, para chegar aos melhores resultados.

Dra. Ana Carolina Freire Costa (CRM 32837)

Artigos que também podem lhe interessar:


Hit Counter provided by Cheap Seo Packages