Médica especialista em Cirurgia Vascular que atua no tratamento de varizes e vasinhos com os métodos mais modernos, inclusive aplicação de espuma e procedimentos com laser. Os tratamentos são programados de forma a atingir os melhores e mais rápidos resultados estéticos, com mínimo desconforto.
Cirurgia de Varizes precisa ser feita em Hospital?

Cirurgia de Varizes precisa ser feita em Hospital?

cirurgia de varizes fora de hospital

Você provavelmente ainda não sabe, mas hoje em dia é possível fazer uma cirurgia de varizes sem precisar ir para o hospital.

Isso mesmo! É possível operar varizes de diversos tamanhos sem a necessidade de ir ao hospital. Tudo na Clínica, com anestesia local e acesso aos equipamentos mais avançados da Flebologia Moderna.

Eu confesso que sonhei com esses procedimentos durante anos, uma vez que já era realidade nos EUA há 20 anos atrás, quando eu ainda estava na faculdade de Medicina.

Mas qual a vantagem de operar na Clínica? Bem, a principal vantagem, a meu ver, é justamente não ter que pisar em um hospital e todas as doenças que circulam neles. Ademais, a facilidade de agendamento e pontualidade são outras vantagens da Clínica, uma vez que as únicas agendas que precisam ser conciliadas são a do paciente e da equipe cirúrgica.

Além disso, na clínica nós temos diversos equipamentos à disposição, como a Realidade Aumentada, o Laser Transdérmico, o Resfriador de pele, que não temos num Bloco Cirúrgico. Por isso, na Clínica se torna possível associar o tratamento funcional ao estético. Tudo num único procedimento.

Mas a cirurgia na Clínica é para todo mundo? Evidentemente não. Há casos mais complexos que ainda exigem que o procedimento seja realizado em bloco cirúrgico, assim como alguns pacientes que apresentem maior risco por doenças associadas.

Agora, me conte: O que você acha da idéia da cirurgia de varizes fora de hospitais?

Quanto tempo sem tomar sol após tratar os vasinhos?

Quanto tempo sem tomar sol após tratar os vasinhos?

quanto tempo sem sol apos tratar os vasinhos

Essa é uma pergunta que eu tenho certeza que você quer saber a resposta!!

Afinal, a maioria das pacientes posterga o início do seu tratamento de vasinhos justamente pelo receio de não poder expor a região ao sol.

O grande perigo são os hematomas, que podem provocar manchas na pele se exposto ao sol. Pode-se imaginar, que não há uma resposta direta para essa pergunta. Afinal, a formação de hematomas depende de pessoa para pessoa, assim como do tipo de veia que está sendo tratada e de que fase do tratamento a paciente está.

Os hematomas são maiores e mais frequentes no início do tratamento e após o tratamento daquelas veias maiores. Entretanto, de forma geral, trabalhamos com um período de restrição de 2 a 3 semanas, em média, após cada sessão.

É sempre aconselhável conversar com seu cirurgião sobre as particularidades do seu tratamento para obter orientações mais precisas para o seu caso.

Trate seus vasinhos que ainda dá tempo e Bom Verão!!!

Eu quero tratar os vasinhos sem sentir dor!!

Eu quero tratar os vasinhos sem sentir dor!!

Ah! Quantas pacientes não tem esse sonho, não é mesmo? E quantas mulheres deixam de tratar seus vasinhos porque acharam os procedimentos muito dolorosos…

Felizmente na Clínica Vascullar essa história já começou a mudar!

É bem verdade que muitas pacientes toleram bem os procedimentos, acham que o desconforto bastante tolerável.

Aproveitam para colocar as séries do Netflix em dia (sim, temos Netflix na TV das salas de procedimentos…), atualizam e-mails, batem papo comigo e com as secretárias…

Mas há aquelas que não suportam o desconforto.

Sensibilidade é uma questão absolutamente individual e há, sim, pessoas mais sensíveis que as outras. Você mesma pode estar mais sensível em determinadas épocas do mês.

Pensando nisso, trouxemos a sedação com Óxido Nitroso para o Consultório.

Oferecido através de uma máscara, numa mistura com Oxigênio, esse gás promove um efeito de relaxamento e torna possível que, mesmo as pacientes mais sensíveis, tolerem sessões longas e intensivas.

Assim, realizamos uma sessão com toda a estrutura duplicada, dois cirurgiões, dois equipamentos de laser, duas ecografias, dois resfriadores de pele, para que o tratamento seja realmente duplicado.

Se medo de sofrer na sessão de tratamento de vasinhos te impedia de te livrar deles, entre em contato agora!

Quantas sessões são necessárias para tratar os vasinhos?

Quantas sessões são necessárias para tratar os vasinhos?

Que o tratamento das varizes e vasinhos mudou muito nos últimos anos, acho que todo mundo já sabe. O conhecimento teórico e técnico sobre os tratamentos disponíveis avançaram muito, e muita tecnologia foi incoorporada nos últimos anos. Tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento propriamente dito.

A consequência foram tratamentos mais assertivos, completos, rápidos e com resultados duradouros.

Porém, eu sempre gosto de dizer para as minhas pacientes que milagres não existem nesse campo. Não procure a promessa de resultados em uma única sessão: isso não existe!

Aqui na Clínica, fazemos a sessão 4S, que é uma sessão intensiva, com dois cirurgiões vasculares atuando ao mesmo tempo nas pernas da paciente, com toda a estrutura duplicada. É como fazer várias sessões em uma só. Sim, isso acelera bastante o processo. E mesmo assim, geralmente precisamos de mais algumas sessões para atingir o resultado desejado.

Algumas vezes, é necessário realizar intervalos entre as sessões para atingir melhores resultados. Isso pode prolongar o tratamento em 3, 6, até 12 meses! Mas doutora, não era pra ser mais rápido?

Siiimm!! Se compararmos com anos a fio fazendo tratamentos que não te trouxeram resultado nenhum, esperar 12 meses não é tanto assim. Evidentemente, não são 12 meses sem ver nenhum resultado. São meses construindo um resultado duradouro am algumas pacientes que tem casos extremamente complexos.

É extremamente importante ter expectativas realistas com relação ao que pode ser atingido e seguir o plano proposto. De outra forma, é só jogar dinheiro fora mesmo.

Se você tem muitas veias nos pés, precisa ler esse post

Se você tem muitas veias nos pés, precisa ler esse post

Ter veias dos pés visíveis é absolutamente normal. Apesar de motivarem queixas estéticas com frequência, veias aparentes não são um problema e nem precisam de correção.

Na verdade, a circulação venosa do pés, diferentemente da perna, conta com uma rede superficial mais importante.

As veias profundas dos pés levam um volume menor de fluxo. A participação das veias superificias quase se equivale em termos de volume. Por isso, até mesmo procedimentos e traumatismos menores nos pés podem gerar grande inchaço.

Entretanto, nem todas as veias dos pés são inocentes. Há sim aquelas que devem gerar preocupação. Especialmente aqueles “vasinhos” roxinhos exuberantes. Isso porque essas veias podem estar conectadas a outras que podem aumentar o risco até mesmo do surgimento de úlcera venosa.

Estima-se que determinadas conformações de vasinhos nos pés elevem o risco de surgimento de feridas nas pernas (sim, nas pernas! E não só nos pés!!) em até 5 vezes!

Por isso, a avaliação vascular não deve ser postergada com a desculpa de ser uma queixa apenas estética, não provocar sintomas. Alguns sintomas são negligenciados por pacientes durante a vida toda.

A questão principal é realizar uma boa avaliação funcional da perna, identificar a extensão da doença venosa e veias ocultas que possam provocar o surgimento dos vasinhos. Isso irá diferenciar um caso funcional de outro estético e definir quem deve ser submetido ao tratamento e qual o tratamento mais adequado. Nem sempre o tratamento será a simples “secagem” dos vasinhos. Por vezes, até mesmo uma ciurgia será necessária. Por isso a avaliação com um cirurgião vascular é tão necessária.

É possível tratar as varizes por Planos de Saúde?

É possível tratar as varizes por Planos de Saúde?

Tratamento de Varizes pela Unimed

Uma das dúvidas mais frequentes tanto em consultório quanto aqui e nas redes sociais é sobre quanto do tratamento de varizes e vasinhos pode ser feito pelos convênios.

Muitos pacientes acham que a discussão gira em torno do que qualifica um procedimento como “estético”ou “funcional”. Então, queixam-se de sentir dor e desconforto nas pernas por causa dos vasinhos e que, por isso, o Plano de Saúde deveria oferecer cobertura para o procedimento.

Mas a verdade é que a cobertura dos planos de saúde para qualquer procedimento está definida no Rol de Procedimentos da Agência Nacional de Saúde (ANS). E esse Rol é atualizado ano a ano.

Evidentemente, qualquer afirmação que eu escreva hoje sobre essa lista de cobertura vale apenas para hoje. Assim, vale a pena conferir a lista atualizada no momento em que ler este artigo.

Atualmente, entre os procedimentos que se referem ao tratamento de varizes, a lista consta apenas da Cirurgia Convencional de Varizes, sem uso de Laser. Esclerose de vasos pode ser usada apenas para veias do esôfago, em pacientes portadores de cirrrose, por exemplo, mas não para as telangiectasias (aqueles pequenos vasinhos) das pernas.

Assim, a própria cirurgia com uso da técnica de Endolaser não tem a cobertura prevista para planos de saúde. E esse tipo de tratamento não tem absolutamente nada de estético, pois pode tratar safenas doentes, por exemplo. O procedimento de laser transdérmico também não faz parte da lista. Então, independente de ocasionarem ou não sintomas, esse tipo de tratamento pode não ser coberto pelo seu convênio.

Ainda assim, é possível que alguns convênios cubram esses procedimentos, mas apenas por questões pontuais de contrato com alguns usuários, mas não são a regra.

Cirurgia de Safenas sem Laser

Cirurgia de Safenas sem Laser

Qual o melhor procedimento para tratar as varizes?

Atualmente, podemos tratar as varizes pela cirurgia convencional, pela técnica com laser, ou com espuma.
Muitos pacientes ficam em dúvida sobre qual a melhor opção para o tratamento. Inicialmente, devemos considerar que nem todos os pacientes são candidatos a todos os tratamentos. Cabe ao cirurgião avaliar o paciente e decidir quais as opções possíveis.
A decisão dependerá da experiência do cirurgião vascular. Entretanto, considerando as orientações de diretrizes internacionais e que não haja impedimentos técnicos, a ablação térmica por laser ou radiofrequência é a primeira opção para tratamento de safenas incompetentes, dados os bons resultados associados a menores índices de complicações.
Como segunda opção, há o tratamento com espuma, realizado com bons resultados e poucas complicações, apesar de taxas um pouco maiores de falhas.
A cirurgia convencional é elencada como terceira opção, apesar de seus bons resultados e extenso conhecimento da técnica após anos de realização em todo o mundo. Essa terceira posição entre as opções possíveis se deve principalmente às taxas maiores de complicações, embora também pouco frequentes. É importante salientar que a cirurgia convencional permanece como opção de bons resultados para o tratamento das varizes. Entretanto, a tecnologia atual oferece tratamentos com resultados comparáveis e menores chances de complicações.

Cirurgia Convencional de Varizes (Fleboextração/ Safenectomia)

As veias que se transforam em varizes não podem ser curadas. Dessa forma, a melhor solução é removê-las. O objetivo da cirurgia é reduzir a pressão do sistema venoso da pele através da remoção de suas veias. A remoção de varizes não afeta o fluxo de sangue porque outras veias superficiais e especialmente as veias profundas compensam as que foram removidas.

Preparo para a cirurgia
Apesar de ser considerada uma cirurgia de baixo risco, uma avaliação clínica deve ser feita para detectar fatores de risco para cirurgia. Serão solicitados os exames pré-operatórios necessários, além de uma ecografia para avaliar a função das veias das pernas, chamada de ecodoppler colorido.
A cirurgia não exige permanência no hospital e o paciente recebe alta no mesmo dia. Entretanto, é necessário que o paciente tenha um acompanhante ao chegar ao hospital e para conduzí-lo de volta para casa ao término do procedimento, já que o ele não terá condições de dirigir ou utilizar o transporte público.
Já no hospital, antes do procedimento, o cirurgião desenhará um mapa de suas varizes nas pernas com uma caneta especial de forma que elas possam ser localizadas no procedimento mesmo após estar deitado.

A cirurgia
A cirurgia de varizes é realizada sob anestesia geral ou raquianestesia. Dependendo da localização das veias, o paciente ficará deitado de barriga para cima ou para abaixo.A operação varia um pouco de caso para caso, dependendo das veias que apresentem problema. Para a retirada da veia safena magna ou interna, são realizados dois corte, um na virilha e outro no tornozelo ou joelho. Um fio de metal é passado por dentro de toda a veia e orienta a remoção desta através das incisões.
Por vezes, a safena parva ou externa também apresenta problemas. Nesse caso, os cortes são realizados na parte posterior do joelho e do tornozelo. Essa veia é removida com menor frequência devido à proximidade com um nervo, que pode ser danificado.Finalmente, na maioria dos casos, as veias varicosas visíveis são removidas através de pequenas incisões puntiformes ao longo das veias varicosas. Essas incisões não necessitam pontos e são cobertas apenas com micropores. As pernas são enfaixadas ao final do procedimento.

Pós-operatório
Terminada a cirurgia, o paciente é levado à sala de recuperação pós-anestésica, onde permanece por um período de 2 a 6 horas em média. O paciente recebe alta quando totalmente recuperado, puder comer, caminhar e urinar sem dificuldade.
Os pacientes não costumam se queixar de dor intensa, mas ardência e queimação ao acordar são comuns.
Algumas das incisões menores podem sangrar um pouco mais nas primeiras 24-48 horas. Por esta razão, é melhor manter os micropores por 5 dias, que também favorece a boa cicatrização. As meias elásticas também ajudam nos primeiros 7 dias. Após este tempo, as meias ajudam na contenção dos hematomas e devem ser usadas apenas se proporcionarem mais conforto. As incisões, embora inicialmente muito visíveis, diminuem até tornarem-se praticamente invisíveis dentro de 9 a 12 meses.
Geralmente, há grandes hematomas na perna, em particular ao longo do meio da coxa. Este hematomas melhoram em 3 a 4 semanas.
A maioria das pessoas descrevem a perna dolorida e pesada quando chegam em casa. O repouso melhora os sintomas e é importante permanecer deitado com as pernas elevadas por 3 dias. Durante o repouso, deve-se movimentar as pernas, para evitar a ocorrência de trombose venosa. O desconforto melhoram bastante ao longo da segunda semana de pós-operatório.
Passado o período de repouso, deve-se realizar caminhadas curtas e numerosas ao longo do dia até retornar gradualmente às atividades normais.

Dirigir: Permitido após o 7o dia, desde que a perna não esteja muito desconfortável.

Banho: Permitido no dia seguinte à cirurgia. Os micropores podem ser molhados no banho, mas não devem ser removidos.

Trabalho: A depender do tipo de atividade, o trabalho pode ser retomado em até 15 dias. Algumas profissões mais extenuantes, podem exigir afastamentos mais longos.

Medicamentos: alguns analgésicos serão orientados ao final da cirurgia.

Complicações
Complicações após cirurgia de varizes são incomuns.

  • Pneumonia: Podem ocorrer após qualquer cirurgia, especialmente em fumantes.
  • Infecção da ferida cirúrgica: Infecções graves são raras, mas mesmo as menores exigem uso de antibiótico.
  • Secreção pelas feridas: Deve ser sempre avaliada pelo médico, com diferentes tratamentos a depender da causa. Pode durar até 6 semanas em alguns casos.
  • Lesões de nervos da perna: são incomuns. Entretanto, dois nervos da pele estão particularmente em risco: um da sensação do dorso do pé, e outro da borda exterior do pé. Outros nervos também podem ser acometidos e afetarem a sensibilidade de regiões diferentes da perna. A sensação reduzida pode ser muito perceptível no início, mas normalmente diminui com o tempo e geralmente não é um problema a longo prazo.
  • Trombose venosa profunda: pode ocorrer após qualquer cirurgia, mas é raro após cirurgia de varizes.

Recorrência
A recorrência de varizes ocorre em cerca de 1 em 15 pacientes durante um período de dez anos. Por vezes, pode ser necessário tratamento adicional.

Dicas para não sofrer com as Varizes no Verão

Dicas para não sofrer com as Varizes no Verão

O calor agrava os sintomas das veias varicosas, mas existem maneiras de se manter confortável mesmo com o aumento da temperatura.

Conforme as temperaturas aumentam nos meses de verão, os sintomas das veias varicosas também pioram. Se você sofre de varizes, provavelmente notou piora na dor e inchaço causado pelas veias salientes em suas pernas ou pés nesse período.

Há uma razão para esse fenômeno: embora o calor não cause varizes, ele pode agravar o desconforto que os esses pacientes já enfrentam diariamente. Isso ocorre devido à forma como nosso sistema circulatório combate os efeitos de temperaturas excessivamente altas.

Por que o calor é ruim para as veias varicosas?

O calor exacerba a causa subjacente das veias varicosas, que é um mau funcionamento das válvulas das veias das pernas. Essas válvulas são responsáveis ​​por bombear o sangue das pernas para o coração. No entanto, as válvulas às vezes ficam fracas devido a vários fatores de risco, como ficar sentado ou em pé por longos períodos, obesidade, hereditariedade e gravidez.

Quando as válvulas enfraquecidas não conseguem empurrar o sangue para cima, em direção ao coração, as paredes das veias ficam tensas por terem que conter esse refluxo de sangue. Isso leva aos sinais clássicos de varizes e vasinhos ao longo das pernas ou pés.

Durante o verão, esse acúmulo de sangue nas veias é intensificado pelo calor. Para esfriar, nossos vasos sanguíneos se dilatam e forçam os fluidos – na forma de suor – para a superfície da pele. Veias com válvulas saudáveis ​​são capazes de acomodar esse fluxo extra de sangue. As veias com válvulas danificadas não conseguem, o que intensifica o inchaço e as dores das veias varicosas.

Como minimizar o Calor das Varizes?

Abaixo vou listar 5 medidas que podem ajudar a aliviar o desconforto:

Hidratação: A desidratação causa cãibras musculares e inchaço nas pernas. Portanto, beba bastante água para manter as veias funcionando corretamente. Além disso, evite bebidas alcoólicas que possam causar desidratação.

Fique longe do sol do meio-dia. Manter-se ativo e praticar exercícios é uma ótima maneira de reduzir os sintomas das varizes e vasinhos. No entanto, durante o verão, programe seus treinos ao ar livre para quando a temperatura cair. Praticar exercícios quando o sol e o calor estão mais fortes pode acabar piorando os sintomas, além de outros riscos. Se você faz exercícios ao ar livre, experimente nadar ou simplesmente caminhar na água. Essas atividades não apenas aliviam os sintomas, mas também promovem uma boa circulação, trabalhando os músculos da panturrilha.


Resfriamento: Se você tomar sol, mergulhe uma toalha em água fria e espalhe-a sobre as pernas. Tome uma ducha ou banho em água fria para diminuir os vasos sanguíneos e reduzir o inchaço. E sempre que possível, fique em locais com ar condicionado.


Eleve as pernas: Para estimular o fluxo sanguíneo das pernas para o coração, apoie as pernas em um travesseiro pelo menos três vezes ao dia por 15 a 20 minutos. Isso alivia o inchaço e o peso que geralmente estão associados às veias varicosas.


Use meias de compressão
. Para dar uma ajuda extra às válvulas das veias varicosas, coloque um par de meias de compressão. Se você sentir calor com elas, polvilhe as meias com água fria. Consulte um cirurgião vascular, caso ainda não tenha a indicação de uma para comprar.

Como tratar a Úlcera Venosa?

Como tratar a Úlcera Venosa?

úlceras varicosas ou venosas, são feridas ocasionadas por problemas na circulação venosa nos membros inferiores, correspondendo a 80% das feridas que acometem perna e pés.

Uma avaliação detalhada do sistema venoso profundo e superficial, realizada pela ultrassonografia é um dos primeiros passos para o tratamento das Úlceras Varicosas. Para que o tratamento seja um sucesso é preciso tratar a raiz do problema.

No consultório, vejo muitos pacientes que estão há anos convivendo com feridas nas pernas, gastando muito dinheiro em curativos sofisticados, porém sem diagnóstico adequado do sistema venoso e, por isso, sem tratamento adequado.

Entre as técnicas para o tratamento da Úlcera Varicosa, estão:

– Espuma densa
– Endolaser

Mas será que só isso resolve? Evidentemente não. Mas é o início de um tratamento que costuma ser longo e que deve ser levado muito a sério.

Qual a vantagem de tratar as varizes com Espuma?

Qual a vantagem de tratar as varizes com Espuma?

A técnica de espuma é altamente eficaz para tratar vasinhos e varizes volumosas.

A espuma atinge veias onde o bisturi não alcança. Por isso, essa técnica é uma das mais eficazes e na maioria dos casos elimina a necessidade de realizar cirurgia.

Uma das vantagens do tratamento com espuma é que não é necessário cortes e nem repouso, o paciente pode voltar às suas atividades normais em poucos minutos.

Recentemente, chegaram ao Brasil cateteres que tornam os procedimentos com espuma ainda mais eficazes para as veias de maior calibre, como as safenas. Assim, a eficiência do tratatamento com espuma vai se aproximando daquela das cirurgias. Isso torna a técnica especialmente interessante para pacientes idosos e que não podem ser submetidos a anestesia, por exemplo.